Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Anna Costa St

Licenciada, mãe de um menino, formação em Fashion Industry/Consultoria de Imagem, aqui deixarei sugestões de Moda e falarei de outros temas que estão presentes nos nossos dias. Lifestyle, Clean the Closet entre outros...

Anna Costa St

Licenciada, mãe de um menino, formação em Fashion Industry/Consultoria de Imagem, aqui deixarei sugestões de Moda e falarei de outros temas que estão presentes nos nossos dias. Lifestyle, Clean the Closet entre outros...

29.08.19

...BurnouT


Ana Costa Ana Costa

O tempo foi passando...

Nem todos os amigos e amigas sabiam exactamente porque razão não estava a trabalhar, muitos até nem se aperceberam, também porque muitos estão ligados à mesma área e numa empresa tão grande as coisas acabam por passar ao lado.

Fui ocupando o meu tempo entre ajudar uma amiga a iniciar uma nova etapa da vida dela, e entre trabalhos de Styling, formação que completei em 2018.

As consultas de psiquiatria/psicoterapia, acompanhavam-me todas as semanas, esse era o meu dia alto. Nesse dia não estava para ninguém. Depois da nossa conversa, sentia-me esgotada só queria ficar calada e interiorizar tudo.

Pelo meio, existe toda uma família, uns Pais fabulosos que me apoiaram em todos os momentos, mas que até com eles foi difícil assumir o que se passava. Talvez porque não lhes quisesse passar a preocupação comigo, uma vez que na idade deles já acarretam com as doenças de uma vida toda.

Em Março e por iniciativa própria, sim porque da parte da Empresa sinto que tenho tido apoio "zero", fui à UCS, a unidade de cuidados de Saúde que nos serve na empresa, e fui conversar com a médica com quem sinto mais afinidade e de certo modo sinto que nos escuta mais e mais sensível a estes sintomas de uma profissão como esta.

Confesso que o entrar lá passados 4 meses de baixa médica e saber que me podia cruzar com colegas, que as perguntas surgissem e que não me sentia ainda confortável para falar da doença, me custou muito. Entrei a olhar para o chão, e acho que não olhei de frente para ninguém, não me sentia confortável. Mesmo a médica me questionou, porque razão não tinha pedido ajuda directamente na UCS, mas como lhe disse "para me receitarem indutores de sono e baixa de 3 dias...não era a solução".

Ouviu-me e percebeu perfeitamente tudo o que lhe contei, ficou do meu lado e disponibilizou-se para o que fosse preciso, mas disse-me logo, para primeiro cuidar de mim e só depois então pensar em regressar, porque acima de tudo para as empresas somos apenas "números" e devemos sempre colocar-nos em primeiro plano pela nossa família, o resto depois logo se vê.

É este tipo de apoio médico que todos merecemos, alguém que nos oiça sem que pense em nós como máquinas. No entanto para a SS estamos sempre aptos, quer consigamos dormir ou não, "dorme durante o dia para recuperar" como me foi dito, "está há 124 dias sem trabalhar, tem de retomar a sua actividade profissional" sem se quer se preocuparem se a medicação é impeditiva do voo, não podemos é dar despesa.

Enfim...

O tempo foi passando e cheguei aos 44 anos em Maio.

Como não tinho comemorado os meus 40, resolvido fazê-lo agora.

Reuni os meus amigos mais próximos e aqueles que sei que estão sempre diponíveis para mim nem que seja para me ouvirem berrar e fui comemorar. Nesse dia, e muitos dos que falavam comigo durante este período não sabiam o que se estava a passar, e nesse dia souberam.

Porquê? Porque sou assim, raramente falo de assuntos mais Meus. Considero-me uma óptima ouvinte e conselheira para os meus amigos e familiares, mas falar de mim ás vezes custa muito.

...

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.