Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Anna Costa St

Licenciada, mãe de um menino, formação em Fashion Industry/Consultoria de Imagem, aqui deixarei sugestões de Moda e falarei de outros temas que estão presentes nos nossos dias. Lifestyle, Clean the Closet entre outros...

Anna Costa St

Licenciada, mãe de um menino, formação em Fashion Industry/Consultoria de Imagem, aqui deixarei sugestões de Moda e falarei de outros temas que estão presentes nos nossos dias. Lifestyle, Clean the Closet entre outros...

03.01.20

Retrospectiva da história do Jacquard


Ana Costa Ana Costa

Jacquard rima com o inverno. 
É a maneira de tricotar a malha na pura tradição britânica.
O jacquard foi criado em 1801 por Joseph Marie Jacquard, um tecelão de 
Lyonnais que aperfeiçoou o "tear de jacquard"; uma máquina programável
operada com cartões perfurados guiando os ganchos, levantando os fios, a
fim de criar padrões complicados.
Frequentemente geométricas, elas não são bordadas na parte exterior do
tecido, mas fazem parte dele, trazendo alívio e nobreza pela sua colocação,
bem como pela variedade de fibras utilizadas (seda, lurex ...).

IMG_0154.jpg

(Zara €29,95)

Um tear revolucionário para a época e ainda considerado o ancestral do 
computador à medida que a tecnologia é avançada. O tecelão de Lyonnais
desenvolveu-o para salvar as crianças desse trabalho meticuloso. Mas essa
invenção assustou trabalhadores e outros artesãos da seda de Lyon, o que
levou à revolta dos Canuts(trabalhadores de seda) para enfrentar a concorrência
de máquinas.
Esse feito técnico acabou atraindo a atenção de Napoleão Bonaparte, que
incentivou fortemente o seu criador a aperfeiçoar sua invenção no interesse
nacional.

IMG_0155.jpg

(Zara €29,99)

Esta técnica não deve ser confundida com o padrão jacquard, tradição de manga

longa e hoje popularizada pela tendência do "sweater de Natal". O chamado

motivo "Jacquard" - tradução francesa de "Fair Isle", uma pequena ilha de

Shetland no norte da Escócia - é uma tecelagem complexa de numerosos fios

de cor que se entrelaçam para criar um motivo.
Em terras com invernos rigorosos, as mãos das esposas de marinheiros

tricotavam camisolas com a intenção de serem quentes e robustas.

Essa técnica não permaneceu confidencial, mas não contava com o criador

de tendências, conhecido como Príncipe de Gales, Edward VIII, que, em

1921, apareceu em público vestindo um colete com um padrão de jacquard

muito colorido. Tradicionalmente, a "Fair Isle" não envolve infinitos padrões de

malha com uma paleta de cinco a seis cores, mas mantém o princípio de duas

cores por linha. Entre os padrões mais clássicos, conhecemos a divisa e

o diamante, hoje muitas vezes suplantados por flocos ou estrelas da cultura

pop, como astro-estrelas.

IMG_0156.jpg

(H&M €15,99)

Agora que já sabemos mais um pouco deste padrão, ainda vamos a tempo de fazer algum investimento nos saldos e comprar a peça chave em jacquard que falta no nosso closet.

AC

(Fonte: Marie Claire)

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.